Simpósio de Cuidados Paliativos do Hospital Santa Rita reuniu mais de 150 part …

Simpósio de Cuidados Paliativos do Hospital Santa Rita reuniu mais de 150 part …

Como parte das ações do movimento Outubro Rosa 2023, o Simpósio de Cuidados Paliativos do Hospital Santa Rita, realizado no dia 21, proporcionou troca de conhecimento e de experiência entre profissionais, pacientes e pessoas interessadas em se aprofundar no tema que envolve qualidade de vida para quem enfrenta doenças graves.

O encontro foi no Hotel Golden Tulip Porto Vitória, localizado na Enseada do Suá, e reuniu mais de 150 pessoas. A equipe multiprofissional da Afecc-Hospital Santa Rita, junto com pacientes que passaram pelos cuidados que envolvem o bem-estar físico e emocional apresentaram suas experiências, resultados e os avanços na área.

O acolhimento, a atenção e cuidados médicos, bem como as terapias complementares ao tratamento, como fisioterapia, arte terapia, reiki, floral, entre outras de igual importância e disponibilizadas na Afecc-Hospital Santa Rita foram debatidas, com depoimentos de pacientes informando o quanto essas atividades complementares foram importantes durante o processo de tratamento médico.

Entre os presentes, Alexandre Aquino de Freitas Cunha, Subsecretário de Estado da Saúde, disse que os cuidados paliativos representam respeito á dignidade humana e o trabalho multiprofissional é fundamental. “A Afecc-Hospital Santa Rita é uma das instituições mais bem e3struturadas, no país, em atendimento humanizado na rede pública e privada”.

Outra autoridade presente, o Prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini, falou de sua experiência pessoal no acompanhamento do tratamento oncológico de sua mãe e revelou o conforto e o bem-estar que os cuidados paliativos proporcionam para o paciente e seus familiares. “É um trabalho importantíssimo e que faz muita diferença durante todo o processo de tratamento”.

Dra. Gianne Sudré, médica do corpo clínico do Hospital Santa Rita e Diretora do Grupo Paliares, empresa de médicos especialistas em Cuidados Paliativos que integra os serviços do Santa Rita, disse que o trabalho consiste em “aliviar sofrimentos, promover cuidado empático, humano e individualizado”.

Dr. Luiz Augusto Fagundes, Diretor Clínico do Santa Rita, disse que é um eterno entusiasta desse trabalho e que ter uma equipe multiprofissional preparada para prestar esse tipo de cuidado é essencial. “Quando os cuidados paliativos são inseridos de forma profissional, séria e competente é muito importante para alcançar o melhor resultado dentro das possibilidades do quadro clínico do paciente”.

A Presidente da Afecc-Hospital Santa Rita, Marilucia Dalla, ressaltou a importância do Simpósio para debater, mais profundamente, o conceito de cuidados paliativos, um tema ainda novo e que merece toda a atenção e reconhecimento pelos resultados positivos que proporciona Agradeceu à Paliares e toda a equipe multiprofissional envolvida no Simpósio.

Comunidade Compassiva

 O ponto alto do Simpósio foi a palestra do Mestre e Doutor na temática de cuidados paliativos, professor da Universidade Federal de São João Del-Rei, enfermeiro Alexandre Silva, que falou sobre Comunidade Compassiva.

Alexandre foi quem implantou a Comunidade Compassiva no Brasil. As primeiras foram nas favelas da Rocinha e do Vidigal (RJ), em 2018. São ações bem-sucedidas, liderada por ele, que estão inspirando o surgimento de outras Comunidades pelo Brasil.

De acordo com ele, a Comunidade Compassiva nada mais é do que um grupo de pessoas incentivadas e capacitadas por paliativistas para atender e ajudar a cuidar das pessoas da comunidade que necessitam desses cuidados. “A base é a comunidade, porque a atenção domiciliar e a família precisam estar conscientes e envolvidas para dar o conforto e a atenção necessários aos pacientes nesses momentos difíceis. É saber cuidar dos seus, saber dar a comida corretamente, a mexer com sonda, a dar medicamento. Enfim, dar dignidade humana na base comunitária, para quando o paciente voltar pra casa, ter toda condição de manter a qualidade nos cuidados”, informou.

De acordo com Alexandre, no Brasil já existem cerca de 10 comunidades compassivas, e na Inglaterra, onde esse conceito começou, são mais de 200 grupos de trabalho. “Importante ressaltar que a Comunidade Compassiva não é somente em favelas, em comunidades carentes. Na Austrália existem condomínios fechados que possuem grupos com essa finalidade. Existe, por exemplo, Comunidade Compassiva em empresas. É um trabalho que reúne grupos que atuam de acordo com a realidade de cada local onde está inserida”, ressaltou Alexandre.

O Cuidado Paliativo

De acordo com a definição publicada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), em 1990 e revisada em 2002 e 2017, Cuidado Paliativo é uma abordagem que melhora a qualidade de vida de pacientes (adultos e crianças) e suas famílias, que enfrentam problemas associados a doenças que ameaçam a vida. Previne e alivia o sofrimento, por meio da identificação precoce, avaliação correta e tratamento da dor e de outros problemas físicos, psicossociais ou espirituais.

O atendimento em cuidados paliativos procura promover a qualidade de vida, de forma individualizada, e com condutas que obedecem a proporcionalidade terapêutica e a necessidade de cada paciente e sua família.

 

     

Artigos Relacionados

Empreendedorismo na Prática

Novo projeto da Afecc oferece cursos que proporcionam conhecimento para uma melhor inserção no mercado de trabalho e maior controle dos gastos familiares Compreender e

Ler mais